O Blog Quemdisse e o site ProjetoQuem

Para mais informações sobre o Blog Quendisse e sua integração ao site ProjetoQuem, navegue nas pelas abas numeradas.

[tab: 1. O título do blog]

O título deste Blog — Quemdisse — pretende passar 3 ideias ao mesmo tempo: a de uma “quendicisse”, no sentido de ser coisa do Projeto Quem; a de que há alguém dizendo algo (tomando posições personalizadas, e se autoconstruindo com isso); e aquela outra ideia, a mais interessante das três, que é a da expressão que costumamos usar para questionar alguma coisa…

— “Quem disse” que as coisas são assim?

[tab: 2. A “euciclopédia” do blog Quemdisse]

Podemos dizer que o site ProjetoQuem é a enciclopédia de base do blog Quemdisse… ou que o blog Quemdisse é o brainstorm de criação do site ProjetoQuem, aberto à postagem de comentários dos visitantes.

Mas falemos um pouco sobre o site ProjetoQuem. Ali, os assuntos já tratados aqui serão estendidos e aprofundados, procurando atingir um nível de informação mais duradouro, menos passageiro. Isso quer dizer que, vice-versa, meus comentários para o site ProjetoQuem relativos a coisas mais passageiras do momento social, político, econômico etc., serão feitos sempre em primeiro lugar aqui no Blog Quemdisse.

O site ProjetoQuem, ao qual este blog permanece sempre ligado (inclusive por links na homepage), deve manter sempre esse perfil de uma enciclopédia com tratamento mais informativo e aprofundado dos assuntos, mas paradoxalmente personalizada, e que está sempre crescendo em conteúdo (pelo menos até o dia da minha morte).

[tab: 3. Uma euciclopédia não é uma wikipédia]

O site ProjetoQuem é uma euciclopédia  — o conjunto de meus estudos pessoais, principalmente filosóficos, exposto na forma de uma enciclopédia. Mas como se costuma dizer, a vida é aquilo que acontece agora enquanto estamos fazendo planos para o futuro… ou, é aquilo que está pintando em rascunho enquanto estamos imaginando como ficará numa moldura na parede.

A vida não tem moldura e não é algo pronto, acabado — a não ser talvez (e infelizmente) para quem vê a vida da gente retrospectivamente como um todo depois que a gente morreu.

Então a ideia era e de que minha euciclopédia tivesse uma “vida”, uma respiração de momento que a acompanha, a transforma e a informa… e não fosse apenas um grande e empoeirado museu de pensamentos “prontos”, isto é, acabados, mortos — coisificados e lançados para exposição pública.

Como combinar uma proposta como esta com a  formalidade de uma enciclopédia? — A Wikipédia é uma resposta… uma excelente ideia por sinal, que mereceria ser assumida e revigorada com empenho por professores e educadores, capazes de dar aos conteúdos uma densidade maior e um verdadeiro salto de qualidade. A wikipédia é uma resposta ágil ao problema de se realizar uma enciclopédia viva… transforma-se, cresce e se corrige sem  jamais perder o ritmo… mas é uma resposta que busca o coletivo de maneira despersonalizada.

O ProjetoQuem segue outra resposta, alternativa, que pretende correr paralelamente… a de uma resposta menos ágil, mas personalizada — e sobretudo mais responsavel na exata medida em que é mais personalizada, pois o autor (eu) responde pessoal e personalizadamente pelo que diz com a sua própria vida, que fica marcada, para o melhor e para o pior, pelas coisas que diz no processo. É isso o que chamo de “euciclopédia”. O site ProjetoQuem é então uma “euciclopédia”. No caso, é a euciclopédia pela qual responde pessoalmente o João Borba (eu mesmo, que estou aqui, atrás dessas palavras que você está lendo).

Pode haver outras “euciclopédias”, feitas por outras pessoas… individuais ou coletivas inclusive! Por que não?

[tab: 4. Como surgiu o Blog Quemdisse]

Para realizar do melhor modo a proposta do site ProjetoQuem, isto é, a proposta de uma enciclopédia viva e personalizada — uma “euciclopédia” —, precisei trabalhar cada vez mais em dois ritmos paralelos: o dos acontecimentos do momento, com os pensamentos mais impulsivos que os acompanham; e o dos pensamentos mais refletidos  e amadurecidos que vão se assentando com o tempo a partir dos primeiros.

No início, em meu ritmo normal de vida, era fácil combinar as duas coisas. Mas com meu envolvimento emocional nos protestos populares que se iniciaram em junho de 2013 no Brasil, e minha necessidade intelectual, no início, de comentá-los assim que ocorriam, o ritmo dos pensamentos impulsivos do dia-a-dia foi se acelerando, e eles foram atropelando e desconjuntando o ritmo mais lento da cuidadosa euciclopédia ProjetoQuem. Especialmente o ritmo das reflexões em gestação na área de gerenciamento do site ProjetoQuem (área do material em preparação e ainda não publicado, que — sempre — excede muitíssimo o volume do que já está publicado).

Comecei a sentir a “enciclopédia” ameaçando desconjuntar-se em algo mais vivo, mas muito mais superficial. Resultado: o problema deu cara, cor e sabor a um projeto até o momento sem maior importância… o de fazer este Blog. Assim foi que realmente nasceu este Blog Quemdisse, assim foi que ele tomou forma — embora seus planejamento já fosse bem mais antigo.

Destarte, o material ágil e vivo deste Blog será sempre reexaminado criticamente, por assim dizer em fogo lento, no site ProjetoQuem, paralelo a ele e de maior densidade… As reflexões obscuramente esboçadas aqui na forma de meros palpites, mas que constituem um verdadeiro planeta vivo de pensamentos, estão na órbita de um sol poderoso que as iluminará sempre região por região conforme giram os assuntos… esse sol é o site ProjetoQuem.

Portanto, todos os ditos do Blog Quemdisse serão reafirmados ou até mesmo desditos — mas sempre com maior aprofundamento e reflexão — no fogo distante, mas intenso, constante e profundo, do site ProjetoQuem.

E desse fogo os pensamentos devem retornar para cá como uma fênix renascida já com memória, porque as reflexões mais amadurecidas dali vão estar sempre interferindo nas novas gerações de pensamentos que explodem como pipocas aqui.

[tab: 5. Mas e a vida de carne e osso, para além da internet?]

Pois é… e a vida concreta, como um todo, para além de pensamentos ditos na internet? E as ações, atitudes e caminhos de vida do João Borba, este que escreve tudo isso? — Porque é claro que por mais “viva” que seja a integração entre os sites ProjetoQuem e Quemdisse, esse “viva” estará sempre entre aspas, isto só é vivo metaforicamente, porque vivo mesmo sou eu, como um todo, em minha carne e meus ossos, por assim dizer.

Bom, pensando nietzscheanamente, então, que força vou ou não gerar com tudo isso para a vida, esta de carne e osso em que vivo? Sinceramente não sei. Quanto a este assunto, só posso reavivar por enquanto o que já disse em diversos momentos e de diferentes maneiras um dos fantasmas amigos que viajam comigo nessa minha Nau dos Loucos chamada Filosofia… estou falando do anarquista Proudhon, que antes de Marx já dizia… que todo pensamento nasce da ação, e deve retornar à ação — sob pena de desempoderamento do agente.

[End tabs]

 

Deixe uma resposta