Por que são interessantes as “Rapidinhas” inauguradas no Blog Quemdisse

Acabo de inaugurar uma nova prática na escrita dos textos para este Blog. Acabo de inaugurar o que estou chamando de as “Rapidinhas” do Blog Quemdisse.

Costumo ser extremamente crítico em relação a novidades (e também em relação a “velhidades”, isto é, posturas e ideias antigas que temdem a rejeitar de saída e sem muita avaliação qualquer novidade). Então podem imaginar (e com acerto) que se estou inaugurando essa novidade não é à toa nem por um motivo superficial e impensado.

Estou acompanhando, com minhas novas “Rapidinhas” do Blog Quemdisse, algumas reflexões minhas a respeito de certas novidades do mesmo tipo a que tenho assistido na internet.

Uma  “novidade” (pelo menos do ponto de vista histórico) que vem ocorrendo em todo o mundo de um tempo para cá é a tendência à utilização de textos cada vezmais curtos na internet. Minha tendência pessoal é fazer o oposto. Textos bem longos (quem me acompanha os escritos já sabem bem disso).

Pois bem: meu suporte técnico (meu mano Tomé), depois de muitas vezes fazendo comentários nesse sentido, conseguiu finalmente me convencer a, pelo menos de vez em quando, num ritmo mais rápido, postar alguma coisa mais curta. Isto funciona bem do ponto de vista do público na internet, da dinamização do acesso ao Blog etc. Daí a minha inauguração destas “Rapidinhas”.

Mas um pensamento em especial me atraiu ainda mais para isso: já chegeui a comentar em algum lugar que essa coisa dos textos supercurtos, do tipo tweeter, tendia a desresponsabilizar os textos.

O autor não chega a construir um raciocínio e defend~e-lo, tomando posição: apenas joga uma ideia solta no ar, sem articulá-la num conjunto maior de pensamentos que mostre um posicionamento construído, fundamentado e argumentado com responsabilidade.

Mas lembro que quando observei isto, observei também, com menos pessimismo, que os jovens, tendendo para esse tipo de comunicação ultradinâmica na internet, por outro lado vão formando grupos, comunidades de diálogo, e nessas trocas de microtextos vão criando uma espécie de construção de posicionamento sim, mas coletivo, em que cada um contrubui com mais um e mais um e mais um pequeno “grão” de fundamentação, de argumentação etc. E isto é superinteresante.

Pensando nisto e na insistência do meu mano no valor dos textos supercurtos, mesmo mantendo também os longos, me ocorreu o seguinte: quando vemos ir nascendo e se fundamentando pouco a pouco um posicionamento coletivo nesses diálogos de frases supercurtas na net, também estamos acompanhando o próprio processo de formação desse posicionamento, e não recebendo-o “pronto”, como algo já preparado e bem-acabado pelo autor, que está colocado lá como uma “obra” de pensamento sua para lermos e apreciarmos. Pelo contrário, nessas criações coletivas, quando realmente chega a haver a construção de algo coletivo como o que estou descrevendo, vemos a coisa toda ir se formando, incerta, ziguezagueante, mas coletivizada e cada vez mais consistente, conforme os pontos de acordo vão se assentando.

Aí pensei: não é legal isso? Essa coisa do work-in-process, do inacabado que vai sendo exposto no seu próprio processo de realização, ao invés de se apresentar ao leitor já de saída como uma obra “pronta” e “acabada”, toda certinha?

E me ocorreu, finalmente, o seguinte: será que através dessas “Rapidinhas” não posso intensificar a realização dessa minha paixão intelectual que é a da exposição dos pensamentos no seu próprio processo aberto e sempre inacabado de formação? 

Minha ideia original já era justamente a de jogar “palpites” de reflexão rápida neste Blog Quemdisse. Deixar meu pensamento filosófico ir se espalhado e se manifestando gradualmente pelos palpites de blogueiro, tomando forma aos pouquinhos,  e com o tempo ir fundamentando melhor as coisas ditas nos artigos do Blog, acrescentando aos artigos (mesmo os mais antigos) mais e mais novos links para referências e fundamentos na “euciclopédia” ProjetoQuem.

Já havia nessa ideia original o sentido de manifestar meus pensamentos filosóficos não como “obra pronta”, mas como work-in-process que vai se desenvolvendo sob os olhos dos leitores que me acompanham. A própria euciclopédia ProjetoQuem já foi planejada pensando nisso, e uma das propostas (ainda mal e bem pouco iniciada) é a de ir incluindo já naquela “euciclopédia” (ProjetoQuem) arquivos em pdf com rascunhos e antigas anotações minhas de caderno, para ir expondo meus processos de desenvolvimento e formação intelectual.

Pois é: agora estou me interessando pela ideia de levar mais longe essa coisa dos “palpites” mais rápidos e menos fundamentados (mas habitulamente longos) que tenho lançado aqui no Blog Quemdisse para só fundamentar depois, ao acrescentar links para a “euciclopédia” ProjetoQuem.

Estou pensando em levar isso (essa postura de work-in-process) mais longe acrescentando, entre esses palpites alongados que tenho escrito aqui neste blog, as tais “rapidinhas”. Expor rapidamente em frases ou parágrafos curtos os fragmentos da minha formação de pensamentos e reflexões. Tudo aquilo que de mais significativo vai pipocando na minha cabeça até o momento em que as ideias começam a se juntar para irem aflorando como um artigo. Por isso, principalmente, acabei decidindo que realmente valhe a pena procurar atender pra valer os bons conselhos técnicos do meu mano Tomé, no sentido se sempre ir postando, em ritmo mais ágil, alguma pequena coisinha, por mínima que seja.

É isso aí. Eis a razão mais profunda para a novidade do meu entusiasmo, agora e assim de repente, com os pequenos textos que mostram cada um apenas um micro-fragmento de vida intelectual perdido, solto e desarticulado.

O conjunto de tudo o que tenho publicado, mostrará o caminho de formação pelo qual vão se desenvolvendo meus estudos filosóficos, e permitirá a pessoa ir me acompanhando ou divergindo de mim pelo caminho com maior senso crítico. Isso acho interessante.

Bastante.

2 comentários sobre “Por que são interessantes as “Rapidinhas” inauguradas no Blog Quemdisse”

    1. Pois é. Por isso é que esse texto sobre as “Rapidinhas” eu coloquei em outra seção. Coloquei em “Notas sobre o próprio Projeto Quem”.
      Estou chamando de “Projeto Quem” o conjunto de todas essas atividades: a “euciclopédia” ProjetoQuem, que é o site que vc projetou pra mim, as videoaulas, que ainda não consegui colocar no ar, o blog Quemdisse etc.
      O mais engraçado é minha dificuldade de escrever coisas realmente curtas. vou esticando, esticando esticaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaando… 🙂 !!!

Deixe uma resposta